04 DEZ 2019 PUBLICAÇÃO

OAB Paraná realiza ação de campanha internacional para mobilizar homens contra violência de gênero

O enfrentamento à violência contra a mulher deve ser feito por toda a sociedade. Segundo o Atlas da Violência, 4.936 mulheres foram assassinadas no Brasil em 2017, o maior número em 10 anos. Com o olhar de que o tema é responsabilidade todos, na próxima sexta-feira (6), a OAB Paraná vai realizar uma ação no centro de Curitiba para divulgar a campanha Laço Branco, que tem o objetivo de sensibilizar homens a se engajarem pelo fim da violência de gênero. 

A iniciativa ocorre em mais de 50 países e, no Brasil, a OAB está se mobilizando em todas as regiões do país. Na capital paranaense, advogadas e advogados, entre os quais o presidente da OAB Paraná, Cássio Telles, e a vice-presidente, Marilena Winter, estarão na Boca Maldita das 11h30 às 13h30 para levar informações sobre o tema e convidar a população, especialmente os homens, a se engajarem na causa. 

SOBRE - Criada há 20 anos, no Canadá, a campanha Laço Branco tem como objetivo fomentar o compromisso entre aqueles que aderem de nunca cometer ou tolerar a violência contra mulheres e meninas. A iniciativa surgiu após o assassinato de 14 mulheres. 

Desde 2007, a lei 11.489 instituiu 6 dezembro como o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência Contra as Mulheres. O movimento faz parte das ações do 21 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, liderado pela Organização das Nações Unidas, que vai até 10 de dezembro.

A OAB Paraná também faz parte, desde 2015, do Movimento Eles por Elas (HeFoShe), também criado pela ONU.

Números

 A Pesquisa Violência Contra as Mulheres, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e Datafolha, indicou que, no último ano, 536 mulheres foram vítimas de agressão física a cada hora. Das mulheres agredidas, 76,4% conheciam o agressor.

Em Curitiba, um levantamento feito na dissertação de mestrado Fatores de Risco de Feminicídio Íntimo, da advogada e presidente da Comissão de Estudos e Violência de Gênero (Cevige) da OAB Paraná, Helena de Souza Rocha, mostrou que em 100% dos casos de feminicídio houve relato de violência prévia e em 70% dos casos de ocorreram ameaças de morte antes de o crime ser consumado. 

Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais

Desenvolvido por Cúria Online do Brasil